projetos de construção em

painel sanduíche de madeira

Projetos de construção de madeira de painel sanduíche

Entrevista com Xaviera Gleixer do Madera21:

“UMA CARACTERÍSTICA DO PENSAMENTO CONSTRUTIVO EM MADEIRA É QUE CONSIDERA O DETALHE DO PISO ATÉ O ÚLTIMO CANTO DA OBRA”

A fundadora do GA Estudio, com carreira no ensino universitário e também membro do júri do Concurso de Arquitetura organizado pela Madera21, refere-se à sua experiência arquitetônica com painéis sanduíche de madeira através de diferentes projetos na região de Valparaíso. Apostas onde foram utilizadas as características do material e para as quais se valorizou o contexto social, cultural e geográfico em que se situaram.

Muito do que fez em madeira encontra-se em Algarrobo (Região de Valparaíso). Balneário que deve o seu nome à árvore papilionácea de copa densa e tonalidade avermelhada que abundava naquele território há mais de quatro séculos. Uma que se diferenciava de outras espécies vegetais pela altura, forma e diálogo com a paisagem, como a arquiteta se refere às suas obras feitas com esse material no litoral central.

Xaviera Gleixner é o fundador do GA Estudio, juntamente com o colega arquiteto Tomás García de la Huerta. Escritório onde desenvolveram diferentes propostas arquitetônicas no Chile e no exterior. Seus trabalhos foram apresentados na XVI Bienal de Arquitetura de Santiago Chile (2008), na XIV Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires (2013), na 16ª e 17ª Bienal de Arquitetura de Veneza (2018 e 2021) e na XIX e XXI Bienal de Arquitetura e Urbanismo Chile (2015 e 2019), entre outros.

Este não é um fato menor, pois o ímpeto deste estudo é alcançar uma relação direta com a condição geográfica, social e cultural de cada requisito. Seja no exterior ou quando você tem que sair das grandes cidades como Santiago, quão significativo é a viagem para a área, o reconhecimento do ambiente onde será construído em breve ou quem serão seus principais usuários, são questões-chave na hora de escolher o que fazer. Principalmente quando se trata de madeira.

Gleixner, com carreira profissional na Alemanha, no ensino universitário no Chile e também como membro do júri do Concurso de Arquitetura 2021 na Wood Week, diz que é nesses processos que o material se torna significativo. Não é à toa que as suas apostas com o material se concentram em Algarrobo, “onde a madeira é muito trabalhada e onde as obras devem fazer parte do local, respondendo sempre ao seu clima. À necessidade que cada setor tem no Chile, algo que nos caracteriza muito como país”.

Uma casa, um pavilhão e uma cama e pequeno-almoço

Projetos de construção de madeira de painel sanduíche

Dentro dos projetos de madeira desenvolvidos pelo GA Estudio, Xaviera Gleixner comenta três experiências significativas com o material. A primeira foi uma casa em Algarrobo, situada num terreno arborizado e com uma clareira que marca, quase naturalmente, como se fosse pretendido, o ponto atribuído à obra.

Dois volumes constituíam esta habitação. O primeiro foi o público, que unificou os espaços da casa e se comunicava com o pátio externo. A outra era a privada, que segregava os quartos e espaços interiores por meio de terraços e pátios luminosos que proporcionavam maior privacidade no interior.

O mesmo aconteceu com outra experiência no spa: um bed and breakfast, também feito com madeira de painel sanduíche. E é que em resposta ao pedido de isolamento acústico por parte dos seus clientes, tanto para os espaços públicos como para os interiores destinados a alojamento, a proposta foi gerar um pátio de 7×7 metros que proporcionasse distanciamento entre os quartos e o espaço comum áreas. , semelhante à habitação supracitada. “Do problema que poderia existir entre o programa exigido, o orçamento e a materialidade, conseguimos extrair uma característica espacial”, diz Gleixner.

Projetos de construção de madeira de painel sanduíche

Outro projeto desenvolvido na área foi um pavilhão de madeira projetado para conter uma banheira de hidromassagem, previamente instalada ao ar livre. A estrutura, assente em ripas de pinho que obedecem a uma grelha de 60×60 cm, surgiu de uma simples exigência inicial do cliente, recorda o fundador do GA Estudio. Algo que eles usaram como insumo para ir mais longe e englobar uma proposta arquitetônica mais completa. Foi assim que investigaram determinadas tipologias específicas, que lhes permitiriam envolver a madeira da melhor maneira possível, até chegarem à específica com a qual construíram o pavilhão.

“Como o projeto era pequeno, quisemos brincar com a madeira desde os detalhes. Projetamos uma espécie de nervura que repetimos em forma de quadrado para gerar uma borda ao redor dessa banheira de hidromassagem e que serviria programaticamente. Assim conseguimos uma espécie de parede aberta que permite que as pessoas se sentem, deixem suas coisas, circulem pela estrutura, para que as crianças possam brincar, etc”, explica.

E continua. “O que sempre queremos fazer com a madeira é mostrar sua estrutura. Deixe seu esqueleto ser mostrado como é, que seja verdade. Que seja realmente com o material e não algo que se assemelhe a ele. Aliás, é um conselho que sempre dou aos meus alunos de arquitetura. Se a encomenda for de madeira, não se deve propor um projeto que também possa ser de metal”.